Arraes, Eduardo e a data 13

09/08/20
blogfolhadosertao.com
Ítalo Rocha Leitão
Jornalista

 

O 13 de agosto é uma data que ficou impregnada para sempre no coração e na mente da população pernambucana, independentemente de coloração ideológica ou partidária. Foi num 13 de agosto que dois líderes políticos de gerações diferentes se despediram da vida, depois de terem governado Pernambuco por cinco mandatos.

Em 2005, essa data caiu num sábado. Fazia 57 dias que Miguel Arraes estava num leito de hospital, no Recife, lutando contra a morte. Às 11h40 da manhã,  o cearense de 88 anos mostrou sinais de cansaço e seu coração bateu pela última vez. Ao seu enterro, no Cemitério de Santo Amaro, uma multidão chorou a sua despedida.

Arraes deixou sua terra aos 17 anos rumo ao Rio de Janeiro onde foi aprovado no vestibular de Direito. Na mesma época, passou num concurso para o extinto IAA, o Instituto do Açúcar e do Álcool. Por decisão pessoal, transferiu-se depois para o Recife, onde terminou o curso na Faculdade de Direito da UFPE.

Na década de quarenta, entrou para a vida pública ao assumir a secretaria da Fazenda, no governo de Barbosa Lima Sobrinho. Nos anos cinquenta, deu os primeiros flertes com as urnas. Ficou na suplência de deputado estadual, mas depois assumiu o mandato.

Em 1959, no segundo mandato de deputado estadual, Arraes foi surpreendido por um convite, ou melhor, uma intimação, das lideranças de esquerda da capital. Deveria ser o candidato a prefeito. “Mas, como, se meus votos são tão pouquinhos?” – ponderou Arraes, com aquele seu jeitão sábio de enxergar a vida. Eleito prefeito, Arraes fez uma administração que logo ganhou destaque junto à população e lhe forneceu o passaporte para outros voos, que ele nem sequer imaginava que estivessem em curso. Criou o Movimento de Cultura Popular, o MCP, demonstrando que queria governar para todos. Em apenas dois anos, 20 mil crianças pobres do Recife, que viviam marginalizadas e sem acesso à educação, foram alfabetizadas. A sede do MCP funcionava no Sítio da Trindade, em Casa Amarela. Jovens e adolescentes pobres tiveram os primeiros contatos com o teatro, a pintura, a poesia. E foi no MCP que o saudoso ator José Wilker, que viveu a infância e a adolescência em Olinda, teve os primeiros contatos com a arte.

Fez o traçado urbano do bairro da Imbiribeira, construiu a ponte de Limoeiro, as avenidas Sul, Abdias de Carvalho e Conselheiro Aguiar. Concluiu a Avenida Norte e pavimentou com concreto a Avenida Boa Viagem. Obras que até hoje servem à população do Recife.

Apenas o Capibaribe separava o prédio da Prefeitura, que ficava na Rua da Aurora, do Palácio do Campo das Princesas. E Arraes foi “convocado” para atravessá-lo. Ficou receoso novamente, mas nada pôde fazer. Abertas as urnas, estava eleito para o primeiro dos seus três mandatos de governador de Pernambuco.

Como governador, ampliou o MCP, estimulou a luta dos trabalhadores rurais da Zona da Mata por direitos trabalhistas, intermediando a negociação entre camponeses e usineiros, que ficou conhecido como o “Acordo do Campo”. Por esse pacto, os direitos trabalhistas dos camponeses passaram a ser respeitados, os salários da categoria foram regulamentados e ficaram acima do mínimo. Foi aí que Arraes ganhou a confiança e a gratidão eterna dos canavieiros. E nunca mais deixou de ser chamado de “Pai Arraia”. Um sincretismo político que acompanhou a sua trajetória pública.

Mas, no segundo ano de governo, veio o grande pesadelo de Arraes. Os militares deram um golpe de estado e tiraram o presidente João Goulart do poder. Em Pernambuco, tentaram contemporizar com o governador. Ele renunciaria ao mandato e em troca ganharia a liberdade. Proposta indecorosa para um homem do quilate de Arraes. No dia primeiro de abril de 1964, foi preso e levado para a Ilha de Fernando de Noronha. De lá, Arraes seguiu para o Rio de Janeiro. Pouco tempo depois partiu com a família  para um longo exílio de 14 anos em Argel, capital da Argélia, na África. Ao voltar, em 1979, Arraes reconstruiu sua vida política. Foi eleito deputado federal em 82. Dedicou parte do mandato à luta pelas eleições diretas de presidente da República. Em 1986, voltou ao Palácio do Campo das Princesas para governar Pernambuco pela segunda vez. No retorno ao governo de Pernambuco, eletrificação de pequenas propriedades rurais, irrigação, crédito agrícola e o Chapéu de Palha, programa criado para dar emprego aos trabalhadores rurais da Zona da Mata durante a entressafra da cana-de-açúcar. Em 1990, Arraes foi eleito deputado federal com a maior votação do Brasil. Em 94, assumiu pela terceira vez o governo de Pernambuco, sendo o único a ser três vezes eleito governador de Pernambuco. Quando encerrou seu terceiro e último mandato, Arraes tinha contabilizado dois mil, novecentos e cinqüenta e cinco dias à frente dos destinos da população pernambucana.

Até pouco tempo antes de morrer, costumava lembrar de um dos seus poemas preferidos, do pernambucano Joaquim Cardozo: “Sou um homem marcado/mas esta marca temerária/entre as cinzas das estrelas/há de um dia se apagar”.

Eduardo Campos formou-se em Economia aos 20 anos de idade e com apenas 22 assumiu um dos cargos mais importantes da estrutura do governo de Pernambuco: a Chefia de Gabinete do governador Miguel Arraes, seu avô.

Em 1990, aos 25 anos, foi eleito pela primeira vez para o parlamento ao conquistar uma vaga na Assembleia Legislativa de Pernambuco, pelo PSB. Depois, elegeu-se três vezes deputado federal, foi secretário de Governo e da Fazenda de Pernambuco e ministro de Ciência e Tecnologia no primeiro mandato do presidente Lula.

Em 2006, com sua obstinação política, conseguiu quebrar a polarização nas eleições para governador entre Mendonça Filho (DEM)  e Humberto Costa (PT) e assumiu a cadeira que já havia sido ocupada três vezes por Miguel Arraes. Quatro anos depois, com uma administração aprovada por mais de 90% da população,  não teve a menor dificuldade para se reeleger. Conseguiu vencer seu então adversário Jarbas Vasconcelos por uma diferença de 2 milhões e 865 mil votos, um recorde na história política das eleições em Pernambuco.

Eduardo Henrique Accioly Campos, conhecido no seio familiar e amigável como Dudu, era um apaixonado pelo que fazia. Na intimidade, os amigos se acabavam de rir com a história de uma frase pronunciada por um eleitor anônimo, na frente do Palácio do Campo das Princesas, quando Eduardo ia entrando para comandar pela  segunda vez os destinos do Estado. O cidadão, bem simples, que estampava no rosto um mundo de sabedoria,  foi bem direto: “Esse aí botaram política na mamadeira dele”.

Nos seus dois mandatos, Eduardo deixou marcas que jamais se apagarão da memória do povo pernambucano. Comandou pessoalmente a política de combate à violência, reformou e construiu hospitais e escolas públicas na Região Metropolitana e no Interior, incentivou a instalação de uma refinaria e de fábricas em Suape, no Litoral Sul,  redirecionou a expansão industrial para o Agreste, Litoral Norte e Sertão, e deu os primeiros passos para a vinda da fábrica da Jeep, em Goiana, inaugurada no governo do também socialista Paulo Câmara.

Eduardo também cuidou pessoalmente de um dos programas mais inclusivos do seu Governo, o “Ganhe o Mundo” – que leva estudantes pobres para estudar no exterior durante seis meses do ano letivo –  façanha que quase nenhum pai de família de classe média consegue fazer e que continua em evidência.

Porte atlético, alto, elegante, olhos verdes, tinha um carisma pessoal contagiante. Gostava de contar piadas, de narrar histórias engraçadas do meio  político. Comparecia a aniversários, batizados, casamentos, velórios, enterros….sempre com o intuito de reforçar as alegrias dos que comemoravam alguma data ou confortar e consolar os que sofriam alguma perda. Morreu tragicamente na manhã de uma quarta-feira, 13 de agosto de 2014, num acidente de avião, em Santos, no litoral paulista.

Eduardo Campos teve a vida  interrompida aos 49 anos, no auge da sua carreira política, quando tentava realizar o sonho de ser presidente da República. Deixou no ar uma última frase ao participar de uma entrevista no Jornal Nacional, da TV Globo, na noite anterior ao acidente: “Não vamos desistir do Brasil !”.

Uma estatística cruel: Brasil chega a 100 mil mortes por coronavírus

09/08/20
Por Estadáo/blogfolhadosertao.com
Alex Pazuello/SemcomNúmero de casos e mortes continua a avançar no País – FOTO: Alex Pazuello/Semcom
Em menos de seis meses, o Brasil atingiu a marca de 100 mil mortos por coronavírus. O País contabiliza neste sábado à tarde, 8, um total de 100.240 mortes, segundo dados do levantamento realizado pelo Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL com as secretarias estaduais de Saúde. Se o País fizesse 1 minuto de silêncio em homenagem a cada vítima, teria de passar 70 dias calado. O número impressiona. É o equivalente a cair quase cinco aviões A320 lotados todos os dias, contando do primeiro óbito, em março, até hoje. Ou à capacidade de público de um estádio e meio do Morumbi, o maior de São Paulo.
Com novos casos se alastrando pelo interior, duas a cada três cidades brasileiras já perderam alguém para a covid-19. Médicos e cientistas de diferentes regiões do País afirmam ao Estadão que, para conter o avanço da doença, é preciso que as ações tenham como base um tripé: identificação e monitoramento precoce dos casos; etiqueta respiratória e cuidados pessoais; isolamento social, ou até lockdown, principalmente nos locais com alta transmissão.
Enquanto não houver vacina ou remédio com eficácia cientificamente comprovada, os pesquisadores alertam que a única saída é tentar reduzir a propagação da covid-19. Coautor do livro Viroses Emergentes no Brasil, o médico infectologista da Unicamp Rodrigo Angerami demonstra que, em tese, a lógica é simples. “Diminuindo a taxa de transmissão, haverá menor número de casos, menor número de casos potencialmente graves e, consequentemente, menor número absoluto de novos óbitos.”
Até o momento, o País atingiu o patamar de 3 milhões de casos confirmados. Para minimizar o contágio, o pesquisador cita a importância da proteção individual, como uso rotineiro de máscara e a higienização constante das mãos, além do distanciamento social. É fundamental fortalecer as ações com informações corretas, afirma. As medidas de prevenção servem não apenas para proteção individual, mas para interromper cadeias de transmissão comunitária.
Segundo Angerami, o combate à pandemia também deve focar em baixar a letalidade da doença. Esse índice varia de acordo com o Estado, chegando a 4% em São Paulo e 8% no Rio. Para isso, é imprescindível que todo paciente seja identificado e investigado laboratorialmente de modo precoce, seja avaliado e monitorado clinicamente e, se necessário, encaminhado para serviços hospitalares.
PLANO FEDERAL
De acordo com os pesquisadores, os sistemas de saúde e vigilância do País já tinham capacidade e expertise para impedir o avanço desenfreado da pandemia, mas os embates políticos atrapalharam. Outro passo, agora, deve ser implementar um plano nacional de enfrentamento ao coronavírus para corrigir o que, na visão dos pesquisadores, seria a principal falha do Brasil até aqui: o vácuo de liderança no combate à pandemia.
Começamos bem, iniciamos a quarentena no momento certo, antes de termos muitos casos, mas tivemos um presidente da República jogando contra os Estados, diz o professor de epidemiologia Paulo Lotufo, da Faculdade de Medicina da USP. Em determinado momento, os governadores se sentiram pressionados e iniciaram a reabertura. Se tivéssemos feito um lockdown sério, mesmo que fosse por um período curto, de 10 ou 15 dias, teríamos tido uma redução expressiva de casos, afirma.
Coordenador do núcleo de epidemiologia e vigilância em saúde da Fiocruz Brasília, o médico Claudio Maierovitch também avalia que a falta de coordenação na área federal atrapalhou. Cinco meses depois, continuamos sem plano e sem liderança. Se tivéssemos isso, poderíamos ter bem definidas as medidas recomendáveis em cada estágio da pandemia, o que é importante se pensarmos que há situações diferentes de transmissão de acordo com a região do País.
As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Morre D. Pedro Casaldáliga, a pedra no sapato do autoritarismo brasileiro

08/08/20
Por  LEONARDO SAKAMOTO/blogfolhadosertao.com
  • Pedro Calsadáliga, expoente da Teologia da Libertacão, é considerado um dos mais importantes defensores dos direitos humanos do país.
  • Foi um dos principais defensores dos povos indígenas e ribeirinhos e dos camponeses e trabalhadores rurais da Amazônia desde a ditadura militar.
  • Casaldáliga foi responsável por algumas das primeiras denúncias por trabalho escravo contemporâneo que ganharam o mundo no início da década de 1970.
  • Aos 84 anos, teve que deixar sua casa pelas ameaças de morte sofridas em decorrência do governo ter retirado invasores da terra indígena Marãiwatsédé
Dom Pedro Casaldáliga, bispo católico radicado no Brasil desde 1968 - Jorge Araujo/Folhapress
Dom Pedro Casaldáliga, bispo católico radicado no Brasil desde 1968 . Imagem: Jorge Araujo/Folhapress

Pedro Casaldáliga, bispo emérito de São Félix do Araguaia, no Mato Grosso, e um dos maiores defensores dos direitos humanos do país, morreu aos 92 anos, às 9h40 deste sábado (8), em Batatais (SP), onde havia sido removido para tratamento médico devido a problemas respiratórios.

A informação foi comunicada pela Prelazia de São Félix do Araguaia (MT), a Congregação dos Missionários Filhos do Imaculado Coração de Maria (Claretianos) e a Ordem de Santo Agostinho (Agostinianos). Ele havia testado negativo para covid-19.

Num ano em que o Brasil já ficou 100 mil vezes menor por conta de uma doença estúpida, a morte de Pedro consegue deixar um vazio profundo. Ele não era apenas um defensor da vida, mas a representação viva da resistência ao autoritarismo.

Nascido na Catalunha como Pere Casaldàliga, chegou ao Brasil em 1968. Desde então, subvertendo o Evangelho de Mateus, capítulo 16, versículo 18, Pedro não foi apenas a pedra em torno do qual edificou-se uma igreja na Amazônia, mas a pedra no caminho dos planos da ditadura e de seus sócios na iniciativa privada de passar por cima dos direitos e da vida de camponeses, ribeirinhos, indígenas, quilombolas.

Foi dele a primeira denúncia por trabalho escravo contemporâneo que ganhou o mundo no início da década de 1970. Essa mão de obra foi largamente utilizada em empreendimentos agropecuários na ocupação da região, com a cumplicidade dos militares.

Por conta de sua atuação contra a ditadura e a violência de grileiros, madeireiros, garimpeiros e grandes produtores rurais passou boa parte da vida marcado para morrer. Foi alvo de processos de expulsão do país. Poeta e escritor, tornou-se uma das principais vítimas da censura baixada pelos verde-oliva durante os anos de chumbo.

“Malditas sejam todas as cercas! Malditas todas as propriedades privadas que nos privam de viver e amar! Malditas sejam todas as leis amanhadas por umas poucas mãos para ampararem cercas e bois, fazerem a terra escrava e escravos os humanos”, escreveu.

Para entender o que é a longevidade da luta de Pedro: aos 84 anos e doente, teve que deixar sua casa em São Félix do Araguaia por conta das ameaças surgidas em decorrência do governo brasileiro, finalmente, ter começado a retirar os invasores da terra indígena Marãiwatsédé, Nordeste de Mato Grosso – ação pelo qual sempre lutou.

Governos nunca foram competentes para garantir os direitos dos povos indígenas. Agora, temos um que é abertamente contra a demarcação de novos territórios. E Pedro, mesmo enfrentando um Parkinson avançado, manteve-se na trincheira contra a necropolítica.

“Ele conseguiu, pela denúncia intrépida e pelo testemunho arriscado, pela profecia inconveniente, pela poesia cortante, pela mística e pela espiritualidade que encarnava, contagiar a muitos e muitas. Contagiar a nós da Comissão Pastoral da Terra (CPT), do Conselho Indigenista Missionário (Cimi), dos movimentos sociais, lutadores por um outro mundo justo, fraterno e possível”, diz frei Xavier Plassat, da CPT. Pedro ajudou a criar ambas as instituições, vinculadas à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

Foi um dos expoentes da Teologia da Libertação – linha progressista da igreja católica que acredita que a alma só será livre se o corpo também for, que tem sido uma pedra no sapato de quem lucra com a exploração do seu semelhante na periferia do mundo. Na prática, esses religiosos realizam a fé que muitos não querem ver materializada a partir do livro sagrado do cristianismo.

Para traduzir o que ela significa, nada como uma citação atribuída a outro gigante, Hélder Câmara, arcebispo de Olinda e Recife, que também lutou contra a ditadura e esteve sempre ao lado dos mais pobres: “Se falo dos famintos, todos me chamam de cristão, mas se falo das causas da fome, me chamam de comunista”.

Pedro não ensinou que solidariedade significa uma forma distorcida de caridade, como uma política de distribuição de sobras – o que consola mais a alma dos ricos do que o corpo dos pobres. Mas que solidariedade passa por reconhecer no outro e na outra seus semelhantes e caminhar junto a eles. Ou seja, não é doar migalhas, mas compartilhar o pão, produzido com diálogo e respeito. “Nada possuir, nada carregar, nada pedir, nada calar e, sobretudo, nada matar”, assumiu Pedro como lema de vida. Tão simples, tão poderoso.

Pedro nunca voltou para a Espanha. Até porque ele era brasileiro. Nasceu por engano em outro continente.

Pessoas assim não morrem, não podem morrer. Não tenho a mesma fé que Pedro, mas não tenho dúvida que ele atingiu a imortalidade.

Seu corpo será velado, a partir das 15 horas deste sábado, na capela do Claretiano, em Batatais. E, antes de ser velado e sepultado em São Félix do Araguaia, também passará pelo município de Ribeirão Cascalheira (MT).

A arte dramática perde Chica Xavier

08/08/20

G1/blogfolhadosertao.com

Chica Xavier – atriz consagrada , tinha 88 anos de idade

A atriz Chica Xavier, conhecida por papéis marcantes em novelas como “Sinhá Moça” e “Renascer”, morreu na madrugada deste sábado (8) aos 88 anos, vítima de câncer de pulmão. Ela estava internada no Hospital Vitória, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio.

Nascida em Salvador em 22 de janeiro de 1392, Francisca Xavier Queiroz de Jesus mudou-se para o Rio em 1953, aos 21 anos e se consagrou como atriz de teatro, TV e cinema, ao longo de uma carreira de mais de seis décadas. Destacou-se como uma das maiores referências da representatividade negra na arte brasileira.

Em 2010, recebeu o Troféu Palmares, entregue pelo extinto Ministério da Cultura, pelo trabalho de preservação e incentivo à cultura afro-brasileira.

“Uma precursora, símbolo de gerações de atrizes e atores negros, de representatividade, que trazia em cada cena ou fala traços latentes de baianidade. Nunca negou a origem”, disse a TV Globo em comunicado.

Nos palcos, Chica Xavier esteve na montagem de 1956 de “Orfeu da Conceição”, de Vinicius de Moraes. Atuou também em novelas como “Dancin’ Days” (1978), “Pátria minha” (1994), “Cara & Coroa” (1995), “O rei do gado” (1996) e “Força de um desejo” (1999), além da minissérie “Tenda dos milagres” (1985). Seu último trabalho na TV foi “Cheias de charme” (2012).

“Obrigado, Dona Chica, por inspirar e se doar como se doou. Obrigado pelo amor e talento que nos ofereceu”, escreveu o ator Lázaro Ramos em uma rede social. A atriz Taís Araújo comentou: “O céu recebe hoje a nobreza. Entre nós vivia uma nobre, uma rainha elegante, sábia, afetuosa, agregadora, ombro e colo para muitos. Salve a rainha Chica Xavier!”.

Em 2013, Chica Xavier foi tema da biografia “Chica Xavier: Mãe do Brasil”, escrita por Teresa Montero.

A atriz deixa o marido, o também ator Clementino Kelé, com quem foi casada por 64 anos. Eles tiveram três filhos, Christina, Izabela e Clementino Junior, e três netos, Ernesto Junior, Luana Xavier e Oranyan.

A matéria completa está no G1

Cheques para Michelle põem Bolsonaro em contradição

08/08/20
Por Folha de São Paulo/blogfolhadosertao.com

A quebra do sigilo bancário do policial militar aposentado Fabrício Queiroz revela novos repasses do amigo do presidente Jair Bolsonaro à primeira-dama Michelle Bolsonaro, de acordo com reportagem publicada ontem pela revista Crusoé. Extratos põem em dúvida a justificativa sobre empréstimos apresentada por Bolsonaro.

Segundo a revista, os cheques que caíram na conta dela somam R$ 72 mil. A Folha confirmou as informações da publicação e apurou que o repasse foi ainda maior. Além dos 21 cheques de Queiroz depositados para Michelle de 2011 a 2016, sua mulher, Márcia Aguiar, repassou à primeira-dama outros R$ 17 mil em 2011.

No total, R$ 89 mil, em 27 movimentações bancárias. Segundo o Ministério Público do Rio, Queiroz operou esquema de “rachadinhas” no antigo gabinete de Flávio Bolsonaro na Alerj. Procurado, o Planalto não se manifestou.

ótima notícia: empresas privadas vão montar fábrica para produzir vacina contra o coronavírus no Brasil

08/08/20
por Douglas Hacknen/JC/blogfolhaosertao.com

 

As doses serão distribuídas gratuitamente para todo o território nacional

BRUNO CAMPOS/JC IMAGEMBrasil já tem uma rede de cobertura efetiva por causa de experiências com outras vacinas. Imunização contra a covid pode começar ainda neste ano. – FOTO: BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM

Oito empresas privadas se uniram para levantar fundos e ajudar o Brasil na produção das doses da vacina contra o novo coronavírus (covid-19). Custando R$ 100 milhões, as instalações terão capacidade de produzir até 30 milhões de doses mensais. As companhias irão equipar e financiar a infraestrutura necessária à produção da vacina contra a covid-19 e posteriormente doar à Fiocruz sem a utilização de dinheiro público. Inicialmente será construído um laboratório de controle de qualidade, para a realização dos testes.

Doado pela Ambev, Americanas, Itaú Unibanco, Stone, Instituto Votorantim, Fundação Lemann, Fundação Brava e a Behring Family Foundation, o dinheiro vai ser usado desde a primeira fase de incorporação do imunizante pelo Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos /Fiocruz), no Rio de Janeiro, que consiste no recebimento de 100 milhões de doses do ingrediente farmacêutico ativo (IFA) até o processamento final (formulação, envase, rotulagem e embalagem).

A vacina que será produzida na unidade está sendo desenvolvida pela Universidade de Oxford, no Estados Unidos, junto ao laboratório farmacêutico britânico AstraZeneca. O imunizante da instituição norte-americana é o mais avançado, até o momento. O projeto se encontra na fase III de testes no Brasil e outros países, como África do Sul, Reino Unido e EUA. A expectativa é de que esta vacina tenha a submissão do seu dossiê de registro entregue à agência regulatória nacional antes do final de 2020.

As doses produzidas serão doadas ao Programa Nacional de Imunizações (PNI) do Ministério da Saúde, para imunização da população de acordo com a sua estratégia.

Além da vacina

O grupo ainda anunciou que investirá em melhorias no parque fabril de Bio-Manguinhos/Fiocruz, assim como na aquisição dos equipamentos necessários à absorção total da tecnologia para produção do IFA. A previsão é que toda a infraestrutura esteja pronta até o começo de 2021.

Legado

Quando concluídos todos os investimentos, Bio-Manguinhos/Fiocruz terá também capacidade para produzir outras vacinas no futuro, incluindo outros tipos contra a covid-19 que sejam aprovados. A unidade produtora pode acelerar a solução para doenças futuras.

Acompanhamento

A Ambev será corresponsável, junto com a Fiocruz, pela gestão e execução do projeto, sob supervisão técnica de Bio-Manguinhos/Fiocruz. Um comitê composto por todas as empresas e fundações será formado para acompanhar o andamento das obras e aquisições dos equipamentos.

Investimento em São Paulo

Parte dos integrantes da coalizão também apoiará a construção de uma fábrica similar no Instituto Butantan, em São Paulo. As duas iniciativas serão as primeiras fábricas capazes de produzir este tipo de vacina na América do Sul.

Leia também:

 Bolsonaro assina MP e libera quase R$ 2 bi para vacina contra coronavírus, que pode ser distribuída ainda neste ano

>> Butantan defende vacina chinesa e prevê que ela já pode ser registrada em outubro

> Brasil tem capacidade e expertise para campanha de vacinação contra a covid-19, diz diretor da OMS

 Fiocruz mapeia linhagens de coronavírus em Pernambuco e dá mais um passo para eficácia de vacinas e remédios

>> Rússia pretende iniciar vacinação em massa contra coronavírus em outubro

Júnior Matuto volta ao comando da Prefeitura de Paulista

07/08/20

Postado por Magno Martins/blogfolhadosertao.com

 

STF autoriza retorno de Matuto à Prefeitura de Paulista

Júnior Matuto, foi afastado  do cargo dia 21 de julho pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco.

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, suspendeu a liminar que afastou o prefeito Junior Matuto (PSB) do cargo em Paulista. A decisão monocrática foi expedida ontem pelo ministro.

Ao justificar a medida que autoriza a volta de Junior Matuto à Prefeitura, Toffoli apontou que há “risco de grave violação à ordem pública” devido “ao risco potencial de que o requerente seja mantido afastado do cargo para o qual foi eleito até o fim do mandato”. Em suas palavras, isso representa uma “evidente antecipação dos desdobramentos de um suposto juízo condenatório”.

Ainda segundo o presidente do STF, um “significativo espaço de tempo transcorreu entre o afastamento cautelar e os ilícitos supostamente praticados”. “A medida contra o requerente somente foi adotada neste ano de 2020, por fatos supostamente praticados entre 2012 e 2017”, pontua Toffoli.

Desde 21 de julho, o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) afastou Junior Matuto da Prefeitura de Paulista sob a suspeita de desviar mais de R$ 20 milhões dos cofres públicos.

As notícias mais importantes do dia estão aqui no Podcast do jornalista Ivan Maurício

07/08/20

blogfolhadosertao.com

1 – Governo de Pernambuco divulgou, ontem, as datas e taxas de ocupações para retomada das aulas presenciais nos cursos livres.

2 -Presidente Jair Bolsonaro assinou, ontem, uma medida provisória que abre crédito extra de cerca de R$ 2 bilhões no orçamento federal e abre caminho para a produção da vacina para Covid-19 de Oxford e da farmacêutica AstraZeneca.

3 – Banco Central recebeu com preocupação a informação de que algumas cédulas de R$ 200 já estariam circulando em Madureira, no Rio de Janeiro, já que a nova nota ainda não foi lançada.

Feiras do Polo de Confecções do Agreste de Pernambuco serão autorizadas a funcionar a partir da próxima segunda-feira (10). A medida é válida para Caruaru, Santa Cruz do Capibaribe, Toritama e cidades vizinhas. Antecipadamente, a Feira do Jeans de Toritama volta neste domingo.

Governo de Pernambuco divulgou, ontem, as datas e taxas de ocupações para retomada das aulas presenciais nos cursos livres. O protocolo para o setor de Educação contempla regras como o uso obrigatório de máscara por alunos, professores e funcionários e distanciamento mínimo de 1,5 metro dos estudantes em sala de aula são algumas das regras. É importante frisar que as datas não se enquadram para os cursos preparatórios para Enem, SSA e outros vestibulares ou disciplinas específicas, assim como cursos técnicos de nível médio. Confira as datas de retorno das aulas presenciais nos cursos livres: 17 de agosto / 25% da capacidade de cada instituição – estudantes acima de 18 anos. 24 de agosto / 50% capacidade das instituições – estudantes acima de 15 anos. 30 de agosto / 70% da capacidade de cada instituição – estudantes acima de 11 anos. 8 de setembro / 100% da capacidade. Em relação as aulas presenciais em escolas públicas e privadas, o Governo de Pernambuco ainda não divulgou a data para a retomada. O prazo que proibia a presença dos alunos na sala de aula já foi prorrogado por quatro vezes. Até 15 de agosto as unidades de ensino permanecerão fechadas.

Esportes individuais estão liberados a partir da segunda-feira, dia 10. A vaquejada, embora seja uma atividade cultural, no plano de convivência está equiparada aos esportes individuais e poderá também ser praticada a partir do dia 10 de agosto.

Presidente Jair Bolsonaro assinou, ontem, uma medida provisória que abre crédito extra de cerca de R$ 2 bilhões no orçamento federal e abre caminho para a produção da vacina para Covid-19 de Oxford e da farmacêutica AstraZeneca. Bolsonaro projetou que a vacina esteja disponível a partir de dezembro e a atual crise se resolva “em poucas semanas” depois disso.

Fábio Wajngarten, secretário executivo das Comunicações do governo Bolsonaro, reage a assalto e detém suspeito. Armado, Wajngarten perseguiu o suspeito, até que uma pessoa que estava na rua passou uma rasteira no homem, que caiu. Wajngarten o dominou e acionou a Polícia Militar. E disse: “um bandido a menos na rua”.

Banco Central recebeu com preocupação a informação de que algumas cédulas de R$ 200 já estariam circulando em Madureira, no Rio de Janeiro, já que a nova nota ainda não foi lançada.

Desembargador paulista Eduardo Siqueira – aquele humilhou fiscais da Prefeitura de Santos – foi flagrado novamente circulando sem máscara na praia de Santos. O registro foi feito na manhã de ontem por uma moradora da cidade que preferiu não se identificar.

AUXÍLIO EMERGENCIAL

Auxílio Emergencial: Caixa paga parcela a 3,9 milhões nesta sexta; veja quem recebe clicando no link do texto do Podcast:

https://g1.globo.com/economia/noticia/2020/08/07/auxilio-emergencial-caixa-paga-parcela-a-39-milhoes-nesta-sexta-veja-quem-recebe.ghtml

Caixa abre 47 agências neste sábado para pagamento do auxílio emergencial e FGTS em Pernambuco. Os nascidos de janeiro a abril poderão realizar o saque em espécie do auxílio. Já os trabalhadores nascidos em janeiro e fevereiro poderão sacar o FGTS emergencial. Em todo o País, 770 agências estarão abertas.

Novo programa de transferência de renda atenderá 26 ou 27 milhões de brasileiros, diz Paulo Guedes, Ministro da Economia. Número representa um acréscimo de até 7 milhões de brasileiros em comparação aos 20 milhões de atendidos pelo Bolsa Família antes da pandemia.

Senado limita a 30% juros do cartão e do cheque especial durante a pandemia. A matéria ainda precisa ser avaliada pela Câmara dos Deputados e, em seguida, sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro.

Salário-maternidade não deve ser tributado. STF decidiu que é inconstitucional incidência de contribuição previdenciária sobre verba.

‘Vocês desmataram suas florestas’, diz ministro da Economia Paulo Guedes a americanos ao ser questionado sobre política ambiental. Em evento organizado por um centro de estudos de Washington, ministro da Economia afirmou, ainda, que EUA ‘mataram seus índios, não miscigenaram’. Vice-presidente Mourão divulga dados de desmatamento da Amazônia e diz que houve queda em julho.

PROTESTO NO LÍBANO

Protesto toma as ruas de Beirute, no Líbano, dois dias após explosões. Manifestantes foram dispersos pelas forças policiais e o exército impede o avanço para o parlamento libanês.

REDE GLOBO FORA DA LIBERTADORES

Rede Globo tentou renegociar o contrato dos direitos de transmissão da Copa Libertadores com a Conmebol, mas não chegou a um acordo com a entidade do futebol sul-americano. Por isso, a emissora enviou uma carta, ontem, pedindo a rescisão contratual.

CASO DO MENINO MIGUEL

Câmara de Vereadores de Tamandaré arquiva denúncia de improbidade administrativa contra prefeito Sérgio Hacker, ex-patrão da mãe de criança que morreu ao cair de prédio. Cheiro de pizza em Tamandaré.

CORRUPÇÃO

José Serra recebeu vinhos de até R$ 21 mil, segundo delação da Odebrecht. Odebrecht presenteava o hoje senador e então governador de São Paulo José Serra (PSDB) com caixas de vinhos sofisticados durante cinco anos. Desembolsos feitos pela Odebrecht na conta na Suíça de Ronaldo César Coelho, apontado como operador financeiro de José Serra, atualizados, somam cerca de R$ 37 milhões.

Secretário dos Transportes Metropolitanos do governo de São Paulo, Alexandre Baldy de Sant’Anna Braga, foi preso pela Polícia Federal em sua casa, no Jardins, na Zona Oeste de São Paulo, na manhã de ontem. Ele é um dos alvos da Operação Dardanários, que apura desvios na Saúde no Rio de Janeiro e em São Paulo, envolvendo órgãos federais. Suspeito de receber propina, Baldy comprou mansão de R$ 7,6 milhões e avião. Baldy era a ponte entre Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados, e João Dória, governador de São Paulo. Após prisão, Baldy se afasta do governo Doria para ‘se concentrar na sua defesa’.

CONTAS REJEITADAS EM SANHARÓ

2ª Câmara do Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco decidiu, de forma unânime, pela rejeição da prestação de contas do prefeito de Sanharó, Heraldo José Oliveira Almeida (PSB), relacionadas ao exercício do ano de 2017. Motivos da rejeição foram o não recolhimento das obrigações previdenciárias ao regime geral de previdência no valor de mais de setecentos e quarenta e seis mil reais (R$ 746.529,25), descontados dos servidores e não repassados ao INSS, como também o valor de mais de um milhão e setecentos mil reais (R$ 1.759.829,46), referente a parte patronal.

LICITAÇÃO SUSPEITA NO RECIFE

Tribunal de Contas de Pernambuco aponta suposto sobrepreço de R$ 3 milhões em licitação para educação do Recife.

DESVIOS DOS RECURSOS DA SAÚDE DURANTE A PANDEMIA

Ministério Público Federal vai investigar uso de R$ 70 milhões do programa de ‘Enfrentamento ao Coronavírus’ para pagar dívida pública do Governo de Pernambuco. A informação está na Portaria nº 83 de 04 de agosto de 2020 publicada no Diário Oficial da União e diz que a finalidade da mesma é “apurar possível improbidade administrativa”. Governo do Estado diz que parte dos recursos da Covid poderiam ser usados livremente para mitigação de efeitos financeiros.

Tribunal de Contas de Pernambuco confirma sobrepreço de 338% e quantitativo superdimensionado em compras de filtros de ventilação pela Prefeitura do Recife. A equipe de auditoria do Tribunal de Contas identificou mais duas dispensas de licitação da Secretaria de Saúde do Recife com irregularidades que apontam para prejuízo ao erário municipal. Os números contratados pela gestão municipal, que totalizam 75 mil filtros higroscópicos para ventilação mecânica, são sete vezes maiores que o quantitativo adquirido pelo governo de Pernambuco no mesmo período (10.790 unidades). E o preço chega ser mais que o triplo do que foi pago pelo mesmo produto em outros hospitais da rede pública.

Atendendo determinações de uma Medida Cautelar expedida pelo conselheiro Carlos Porto no dia 28 de julho, a Secretaria de Saúde do Estado suspendeu os pagamentos do contrato firmado em abril com a empresa Air Liquid Brasil Ltda., no valor de R$ 912.114,37, para prestação de serviços de engenharia no Hospital Nossa Senhora das Graças (antigo Alfa), que atende casos de Covid-19 na Região Metropolitana do Recife.

Polícia Federal realizou ontem a operação Nudus para apurar fraudes em contratações emergenciais contra a pandemia do novo coronavírus realizadas pela Autarquia Hospitalar Municipal de São Paulo. Contratações emergenciais de aventais descartáveis, realizadas com dispensa de licitação, somam R$ 11,1 milhões e utilizaram recursos federais destinados ao combate da pandemia de Covid-19.

COVID EM PERNAMBUCO

Com mais 1.074 casos da Covid-19 e 70 óbitos, Pernambuco chega a 101.395 infectados e 6.828 mortes. Com relação aos 70 óbitos, 50 deles ocorreram entre o dia 8 de abril e 2 de agosto. 77.379 pacientes recuperados da doença.

Shoppings podem retomar horário normal de funcionamento a partir do dia 10, diz governo de Pernambuco. Restaurantes do Grande Recife têm horário ampliado, na mesma data, e feiras do polo de confecções do Agreste podem reabrir no domingo, dia 9. Além disso, parte das cidades do Sertão poderão abrir serviços de escritório e lojas de carros com a capacidade total.

Pernambuco notificou dois casos de Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica (SIMP), em crianças que tiveram contato com o novo coronavírus. A doença, que é rara, tem sido monitorada pelo Ministério da Saúde como um dos possíveis efeitos da Covid-19, há pelo menos três meses. Ela já afetou dezenas de pacientes no Ceará, estado que mais registrou esses casos.

COVID NO BRASIL

Ministério da Saúde divulgou ontem um total de 98.493 mortes desde o início da pandemia. Foram registrados 1.237 óbitos ontem. Número acumulado de casos da doença chegou a 2.912.212. E 2.047.660 pessoas foram recuperadas.

Governo de São Paulo deve adiar reabertura das escolas para outubro.

Justiça proíbe retomada das aulas na capital do Rio de Janeiro.

Com aglomeração e sem distanciamento, Belo Horizonte reabre comércio.

Cacique Aritana Yawalapiti, líder indígena do Alto Xingu, morreu ontem em decorrência da Covid-19.

COVID NO MUNDO

De acordo com o mapa da universidade Johns Hopkins, os Estados Unidos lideram o ranking novo coronavírus com 4.870.367 casos acumulados e 159.864 mortes por covid-19 desde o início da pandemia. Estados Unidos têm mais de 2 mil mortes por coronavírus em 24 horas.

Los Angeles vai cortar água e luz de casas que promoverem festas, diz prefeito.

Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou ontem que é possível que o país tenha uma vacina contra o novo coronavírus antes da eleição de novembro, uma previsão mais otimista do que cronograma apresentado pelos especialistas em saúde da Casa Branca – que preveem a apresentação do medicamento para o primeiro semestre de 2021.

Filipinas pode virar epicentro da covid-19 no Sudeste da Ásia.

Alemanha registra maior número de casos desde maio.

Na pandemia, China passa Brasil e vira maior parceiro da Argentina.

AGORA A BOA NOTÍCIA
SOBRE O COMBATE AO CORONAVÍRUS

‘Cortina de Abraços’ permite que idosos de casas geriátricas do Recife recebam carinho. Ação tem o objetivo de amenizar o momento difícil de distanciamento social provocado pela pela pandemia do novo coronavírus. Para amenizar o momento difícil de distanciamento social, a “Cortina de Abraços”, ação que vem sendo realizada em todo Brasil, chegou no Lar de Jesus, no bairro da Torre, na Zona Norte do Recife e Casa Padre Venâncio, na Zona Oeste da capital pernambucana, para beneficiar cerca de 100 idosos com abraços. A troca de carinho será possível graças a uma cortina confeccionada com um plástico muito resistente e que não permite contato físico entre as pessoas, mas garante que o abraço seja dado com bastante segurança. A peça tem assinatura da artista plástica Diná Rocha. A ideia da ação surgiu da empresária Cleusa Maria da Silva, da Sodiê Doces, que possui uma unidade na galeria Derby Center.

Dias melhores virão
Bom fim de semana
Até segunda-feira bem cedinho

Torcida faz festa para homenagear o Salgueiro

07/08/20
Por Lucas Holanda/JC/blogfolhadosertao.com
foto Orlando Santos

Salgueiro sagrou-se campeão pernambucano de 2020 ao derrotar o Santa Cruz nos pênaltis

ORLANDO SANTOS/ RÁDIO JORNAL SERRA TALHADA
Torcida recebeu o Salgueiro após título do Pernambucano.

O título do Salgueiro quebrou uma hegemonia centenária ao conquistar o Campeonato Pernambucano de 2020. Com a vitória nos pênaltis diante do Santa Cruz, o Carcará se tornou o primeiro clube do interior a conquistar o Estadual. Além disso, o troféu do time do Sertão simboliza outro fato histórico: interromper uma sequência de conquistas de Náutico, Santa Cruz e Sport, que já durava mais de 76 anos. E hora depois do título, a festa foi grande no início da tarde desta quinta-feira em Salgueiro. Os torcedores do Carcará se reuniram nas ruas da cidade para recepcionarem o campeão pernambucano de 2020.

Mesmo em meio à pandemia do novo coronavírus, onde a orientação é não se envolver em aglomerações. os torcedores se reuniram na cidade para recepcionar o campeão e foram seguindo carros e ônibus com atletas do Salgueiro. As informações e imagens são do repórter Orlando Santos, da Rádio Jornal Serra Talhada.

O Salgueiro tinha batido duas vezes na trave: em 2015 quando foi vice do próprio Santa Cruz e em 2017 quando perdeu para o Sport. No entanto, escreveu uma bela história no futebol pernambucano ao vencer diante do Tricolor em 2020. Sob o comando do técnico português Daniel Neri, o Carcará entrou no hall da fama dos campeões estaduais. O comandante, inclusive, é o primeiro europeu a vencer o Campeonato Pernambucano – e o décimo estrangeiro.

Mesmo em meio à pandemia do novo coronavírus, onde a orientação é não se envolver em aglomerações. os torcedores se reuniram na cidade para recepcionar o campeão e foram seguindo carros e ônibus com atletas do Salgueiro.

O Salgueiro tinha batido duas vezes na trave: em 2015 quando foi vice do próprio Santa Cruz e em 2017 quando perdeu para o Sport. No entanto, escreveu uma bela história no futebol pernambucano ao vencer diante do Tricolor em 2020. Sob o comando do técnico português Daniel Neri, o Carcará entrou no hall da fama dos campeões estaduais. O comandante, inclusive, é o primeiro europeu a vencer o Campeonato Pernambucano – e o décimo estrangeiro.

Leia mais

> “Uns choram e outros riem”, diz presidente do Salgueiro sobre arbitragem

> Confira clipe do JC com os melhores momentos de Santa Cruz x Salgueiro

> Título coroa regularidade do Carcará no Estadual, ressalta presidente

> Torcida do Salgueiro faz carreata na cidade para comemorar título inédito do Pernambucano

> Baixe o pôster do Salgueiro, campeão do Pernambucano 2020

> Ouça o pênalti decisivo que garantiu o título Pernambucano ao Salgueiro, na voz de Aroldo Costa

 

Governo do Estado anuncia datas de retomada de cursos livres e competições esportivas individuais sem público

06/08/20
Imprensa/PE/blogfolhadosertao.com

 

Retorno das aulas presenciais em instituições de cursos livres será feita em etapas.  Apesar de ser atividade cultural, prática da vaquejada também está liberada
Fred Amâncio-  Secretário de Educação doEstado.   Foto: Pedro Menezes/SEI

O Governo de Pernambuco, por meio da Secretaria de Educação e Esportes, divulgou, nesta quinta-feira (06.08), as datas para retomada gradual das aulas presenciais de cursos livres (cursos de línguas, cursos técnicos, qualificação profissional e outros) e da liberação de competições esportivas individuais, desde que sem público. Os cursos técnicos de nível médio, que compõem a educação básica, não estão contemplados nesta fase de reabertura.
A retomada das competições esportivas individuais acontece a partir desta segunda-feira (10.08).

A vaquejada, embora seja uma atividade cultural, no plano de convivência está equiparada aos esportes individuais e poderá também ser praticada a partir desta data. No entanto, a entrada do público permanece suspensa por tempo indeterminado.O retorno das aulas presenciais dos cursos livres acontecerá de forma escalonada, com a primeira etapa no dia 17 de agosto. Nessa fase, estão autorizados apenas estudantes a partir de 18 anos de idade e as instituições de ensino só poderão receber até 25% da capacidade. Não estão autorizados os cursos preparatórios para o ENEM, SSA e outros vestibulares ou disciplinas específicas.

No próximo dia 24 de agosto, as instituições ofertantes de cursos livres poderão receber até 50% dos seus estudantes, com idade mínima de 15 anos. No dia 31, a rede poderá contar com 75% do corpo discente, com alunos a partir de 11 anos de idade. No dia 8 de setembro, passarão a ser atendidos 100% dos estudantes.

“A decisão foi tomada após criteriosa análise dos números da pandemia no Estado, e as instituições de ensino deverão obedecer ao protocolo setorial de segurança, respeitando as orientações sobre distanciamento social e as medidas de proteção e prevenção. É importante ressaltar que o gabinete de enfrentamento à Covid-19 está monitorando o número de casos e, se necessário, a evolução das etapas de retomada pode ser reconsiderada”, disse o secretário de Educação e Esportes, Fred Amancio.

As aulas da educação básica e do ensino superior seguem suspensas até o dia 15 de agosto, e ainda não há uma definição sobre a data de retorno. Um plano de retomada está em fase final de elaboração e será divulgado em breve.